Morte Traiçoeira

Morte Traiçoeira

A morte quando anda para frente se afasta do homem.
Ela é traiçoeira. Um dia vai com as outras. Outros… vem rondar a gente.
Mas ela fica sempre para quem lhe dá carinho. Parece doença: carência afetiva!
Mande-a distante… não a deseje mover o seu espírito para o além.
Lá naquele espaço tem teias embromadas que o carregam na insegurança de um novo lar.
Afaste-se desta sombra. Ela é larga e enganosa… Cheirosa e venenosa. Como uma serpente carrega o seu corpo no “já era”. Um túmulo no chão cheio de vorazes feiticeiros. Bichos horripilantes que o devoram comendo tudo!
Vamos! Anime-se!
Sua couraça é preciosa para carregar o espírito. Santuários abertos são vistos para você. Faça sua legião e não fuja da entrega divina. Seu percurso não é de ninguém. É seu!
Quando ouvir a voz da sua razão e não ouvir corvos pretos suados sugando sua energia, será perseguido por dragões de honra, príncipes e alfinetes com diamantes emoldurando suas vestes porque o vazio se acaba e a liberdade voa.
Vai…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.