Conversa entre Mãe e Filho

Conversa entre Mãe e Filho

Mensagem do Além – 05/12/2018

—Mãe, onde você está?

—Estou aqui, meu filho!

—E você?

—Estou no Plano de Elevação Espiritual, mamãe.

—Sim! Eu sei, querido.

—Mas, o que você faz aí, meu filho? Como é a sua nova vida?

—Mamãe, somos seres chamados de etéreos. O etéreo quer dizer uma luz vagante por todo o sistema. Volitamos onde desejamos e temos trabalho a fazer.

—Como é a realização deste trabalho, filho?

—Bem, como estou aqui há 35 anos faço o possível para entender todos os dias o que somos e o que realizamos em benefício dos seres do Astral e de quando em quando ministrando ensinamentos aos homens da terra.

—Meu filho, estar aí é bom como dizem?

—Sim e não, mamãe. Bom é sentir as vibrações que recebemos diariamente e o ruim é não poder aparecer para vocês fisicamente como parecemos ser hoje.

—E… como vocês são hoje?

—Sou um invólucro de luz. Uma luz branca que feito um raio saio de um lugar e surjo de repente em outro.

—Você tem sensações, filho?

—Sim, mãe. As sensações são da velocidade. A velocidade é um raio surpreendente. Vocês aí na terra não imaginam o que é a verdadeira velocidade e o tempo.

—Então, me explique, filho.

—Mãe. A velocidade é mais rápida do que todos imaginam. Quando vocês dizem que o tempo passa, não é verdade. Quem passa no tempo são os homens. O tempo é uma luz materializada dos próprios sonhos dos homens. Você materializa a sua existência. Por exemplo. Você pensa que está aqui e de repente você sente esta sensação de estar fisicamente. Só que não é a sensação de estar, é poder estar dentro do tempo que você conseguiu chegar, materializando os seus pensamentos, vendo o que você mesmo projetou.

—Mas isso é complicado para as pessoas entenderem, filho.

—Não é para compreenderem e sim aceitarem. A espiritualidade não pode ser explicável. Ela é eternamente um espírito que ascensiona dependendo das suas voltagens e isto explica a evolução de cada ser humano. Por exemplo. Uma pessoa tem a oportunidade de aprender as lições terrestres. Não deve ser julgada por não querer fazer ou praticar estes ensinamentos. Ele precisa estar preparado para a sua aceitação. Receber a educação e o amor são e dão a base a cada indivíduo, mas, se ele fraquejar e ir em direção oposta, significa que ele não quer vir para outro plano subliminar. Quer sofrer e viver o indesejado porque entrou em sintonia com os seres de baixa frequência. Alertar estes indivíduos é de suma importância. Mas se ele não quiser se render, o seu futuro será prejudicado pelas leis que ele mesmo está imperando para si mesmo. Você entende, isso?

—Entendi, filho.

—O ser humano está se exercitando para viver estas locações. Com a tecnologia avançada o homem está se preparando para fazer viagens espaciais, mas nunca chegarão na dimensão deste Plano Astral onde os etéreos vivem.

—Filho, a viagem astral, como é feita para aqueles que não conhecem o processo de letargia, comando para essa localização?

– Mãe. O homem gravita. Todos os seres da terra quando desejam estar em contato com os seres do além, conseguem vir para cá realizando a sua viagem astral, cordão umbilical entre o físico e o astral/etéreo. Encontramos todos vocês aqui neste plano como se fosse a mente do próprio homem. É como se estivesse solta e já está preparada para isso. O espírito funciona com a interligação da liberdade de seu próprio conhecimento. É uma dádiva de todos eles. Veja bem, mãe. Quando um homem morre fisicamente, o seu corpo recebe instantaneamente um gás que o apaga. É aquele momento que se diz o último suspiro. Acabou o próprio gás que movimenta o seu corpo físico. Porem fica o etéreo, chamado alma, nome este dado por vocês. Ele imediatamente recebe um amparo celestial vindo de seus próprios ancestrais. Alguém da própria família estará com ele nesta passagem. Assim como existirá alguém que é da sua família, ancestral, temos um médico e um enfermeiro da Colônia dos Obreiros a disposição. O médico o assiste na passagem de sua dimensão. Do lado da vida para o outro lado – chamado Etéreo. O médico simplesmente o assopra com um outro fluido dando-lhe o tempo de adaptação ao seu novo estágio, graduação de existência onde estará devagar, levitando. É uma passagem meio complicada aos seres humanos porque o cordão astral não se solta de repente. O corpo morre, mas o fluido da sua existência na passagem continua existindo. Através do cordão astral. Isto é matéria e astral. Quando acontece a soltura total deste cordão ele acorda no outro plano. Alguns se despertam desesperados, outros tranquilos e muitos sem saber o que ocorreu. Para isso temos os passageiros do tempo. Quero lhe dizer, seres espirituais que sabem muito bem como fazer este desapego do espírito preparando-os para vivenciar a sua nova morada.

—Como é não aceitar a sua condição, desmembramento do corpo e matéria, filho?

—Mãe, não existe isso. Existe uma soltura do cordão astral do físico. Ponto. O homem aceitará de qualquer jeito porque não pode ficar amarrado em duas dimensões. Ele sai do corpo e flutua para outras dimensões. Vai sendo levado ao estágio de aprendizado através de seus próprios conhecimentos. Isto é, ele quis aprender, dedicou-se, aceitou e foi na terra um ser que se deu bem com ele mesmo. Depois de 24 horas após deixar o seu corpo ele será encaminhado na sua nova casa. Nesta frequência onde ele estará, dormirá o quanto tempo for necessário para a sua adaptação. Receberá sopros divinos. O sopro divino é a materialização de um gás que se desprende da própria energia do astral, dando aquele ser, um novo gás revigorante. Sua alma aspira um novo transporte, chamamos de gás etéreo, sopro divino.

—Mas… mãe! Não se preocupe com estas pequenas coisas. O que ocorre é muito natural. Ninguém chegará no Plano Etéreo com desespero. São acalmados antes de viajarem aqui. O estado de coma é o preparo espiritual para o ser humano deixar o corpo. Enquanto ele está vivendo o coma recebe os ensinamentos e já o preparo espiritual para seu desligamento. Tudo é bem-feito e preparado para não existir sofrimentos.

—Meu filho, então você pode me explicar o que ocorre neste tempo em que se desligou e o seu preparo para o velório? Como acontece isso com a alma assistindo tudo?

—Não, mamãe. Alguns aceitam e querem ver o que ocorre com eles porque até fazer o transporte para outra dimensão demora um pouco. Por isso é importante que o corpo físico do homem fique na Terra as 24 horas após o desencarne. Aqueles que foram e aceitaram ser preparados para o desligamento da vida para o astral, vê tudo o que acontece. Eles assistem o preparo do corpo e o velório. Outros aceitam até mesmo assistindo ao enterro físico. Enquanto que outros não querem ver nada. Neste caso, eles dormem enquanto o médico, enfermeiro e alguém da sua família astral cuidam do seu desligamento do cordão físico para o astral. Ninguém sente dor, pode ficar bem tranquila.

—Meu filho, eu já fiquei no velório do meu pai e senti-o quando ele se retirou daquela sala onde seu corpo estava sendo velado. Por que ele neste caso se retirou?

– Bem, opção dele. Estava tão cansado de ficar na terra, viu tudo, percebeu que a família estava bem e ,conformado, desejou dormir para se encontrar com seus familiares no Plano Astral.

—Então foi uma opção dele?

—Sim, mãe. Ele queria sair logo da Terra e ir perto de seres que ele queria saudar, ficar perto. Com o avanço da idade que seu corpo viveu na terra, esteve cansado demais.

—Como foi no caso do meu irmão que eu o senti se retirar do corpo no momento das orações, fechamento do seu caixão? Por que “ele” se agitou tanto no meu plexo solar?

—Ele não aceitou a sua morte física. Deu um trabalho muito grande porque não conseguia fazer o desapego. Não queria deixar o corpo físico, a Terra, nada! Então o tiramos de cena. Ele, neste caso, adormeceu por nós por um tempo até que foi mais tarde, conduzido ao Pavilhão de Enfermaria e sendo cuidado pelos seus próprios familiares, especificamente pela sua mãe.

—Filho. Como vou saber o que aconteceu com você? Como foi sua passagem e o que faz agora?

—Minha passagem foi sentida muito tranquilamente porque o meu tempo era pequeno na Terra. Eu sempre soube que não ficaria porque não aceitava ser um invólucro com tanta sabedoria que eu carregava para viver a Terra em seus infortúnios. Queria renascer e onde estou, neste estágio, ele foi alcançado por livre vontade e, escolho o que quero e desejo.

—Então… se está aí e bem nos dias de hoje, o que está fazendo? Qual é o seu trabalho?

Certo, mamãe. O meu impulsionamento se chama alavancar. Trago pedidos dos homens da Terra onde fico. É um estágio com mescla de um azul clarinho. Aqui neste meu escritório passageiro lemos o que os homens dizem e pedem na terra, destinados aos seus entes do Astral. São distribuídos aos seus parentes ou amigos, eles leem e respondem. Então na terra mandamos os mensageiros levarem os recados aos seus destinatários através de intuições, sonhos ou através das psicografias dos médiuns. Lembrando-se se que os seres da terra visitam seus ancestrais aqui neste Plano. Não se lembram porque é outro estagio/dimensão. Poucos são os que saem daqui para ir à Terra levar suas mensagens. Neste escritório existem seres que são os escribas. Fazem contato com os homens e eles recebem as mensagens psicografadas. Um correio astral, chamemos assim.

—Está nossa conversa, filho. O que é isso? Por que não fui avisada para fazer este trabalho com você?

—Mãe. Você está escrevendo um livro ditado por seu mentor espiritual. É o livro Arquitetura da Ascensão. Este livro tem objetivo de explicar às pessoas como é o desenvolvimento da mediunidade. No momento que você chegou na parte do livro que conta o meu desencarne, entrei para estar aqui com a senhora e escrever um outro livro, qual o nome será: Passageiros do Tempo, médium Berenice Bellato e o livro será ditado por vários espíritos. Não será apenas eu que vou lhe ditar. Virão outros, sendo que a maioria deste conteúdo será através de seu filho, Fabinho.

Não quero sobrenomes. Sou o Fabinho o menino gozador. Hoje um espírito crescido com voltagens de muita dedicação a este mundo espiritual qual sou um mensageiro das grandes esferas do conhecimento.

—É assim que funciona, mãe. Agora vou me retirar porque não posso atrapalhar a sua vida terrestre. Foi muito bom este contato e diga ao meu pai que ele nunca está sozinho. Eu o protejo e pode falar comigo que eu o ouço. Ao meu irmão o meu abraço e sempre que posso viajo com ele nas nuvens do conhecimento porque ele viaja muito no Astral. Uma boa tarde até o próximo momento deste nosso encontro. Beijos, mamãe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.